Seguidores

sexta-feira, 23 de setembro de 2016


PLATÔNICO



Platônico


Madrugada adentro

você por dentro
de mim.

Meu fundo cheio
pleno do corpo,
dorso magro
pesado,
almas encontro
tempo parado
cheiro de mato
alecrim.

Negros cabelos
plenos enredos
barba de pelos
espessos, em laços
ofertados
a mim.

Aroma de mato
orgasmo incrustado
no desesperado
olhar, desejo
do amado
em sua fragrância
jasmim.

Madrugada  clara
horas de luz
treva afogada
no fundo do mar
de um amor
bonito
assim.


@Cristina Lebre - 03.06.16
Código em RL - T5770414


BENDITO


Netinho amado,
Há cinco meses você chegou e nos trouxe um novo amanhã
um futuro cheio de cores, as cores que você tão bem já vê
um presente de felicidade em cada amanhecer
quando o sol chega e sua carinha
redonda e risonha
nos anuncia a vida.
Netinho lindo,
Deus nos surpreende tanto,
muito mais do que pedimos ou pensamos,
e coloca em nossos olhos seu riso ainda banguela, mais brilhante que ouro puro
e deita em nossos braços a Sua maior prova de amor por nós ,
o seu semblante, tão novo e gostoso
de viver junto.
Bento, Bendito,
Enquanto você descobre o mundo a gente cobre você de beijos
e apertos
e eu escancaro minha risada como há tanto tempo não o fazia
e eu sinto que vou virar criança de novo,
um pouco mais
e todo dia,
e a gente vê o quanto ainda pode se divertir,
o quanto a alegria ainda pode
nos consumir.
Feliz quinto "mesversário", amor,
nem sei mais onde vou parar
com esse meu desejo de te ver crescer,
já não dá pra medir, pra explicar,
ultrapassa toda e qualquer
melancolia.

@Cristina Lebre – 15.09.16
Código em RL - T5762133

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

INSANO



INSANO

Alheio ao tempo
absorto ,
teimoso,
arredio,
um adolescente rebelde
não aceita conselhos
não ouve ponteiros
somente corta
com ponta afiada
o fundo do peito.

Conceito do meu amor
inteiro.

@Cristina Lebre – 04.06.16

Código em RL – T5719132

sábado, 16 de julho de 2016

SEIVA



SEIVA

Faço poesia
do nada,
do tudo do amor
parida,
do berço do céu
jogada.

Sigo no dia
guiada,
na tarde,
perdida,
na noite,
acuada.

Persigo o alvo
flechada
atiro e dou bote
incrustada
na mata do amor,
nem sempre indolor,
nem sempre fechada.

Desperto
faço história
debulho a cana
decepo o milho
crio você, poema,
como a um filho.

@Cristina Lebre – 11.06.16


Código em RL - T5699858

sexta-feira, 8 de julho de 2016

FRATURA EXPOSTA



Quando te vi de novo
encontrei resposta
você é fratura exposta
ferida aberta
em meu seio
no meio
do gozo.

@Cristina Lebre - 04.06.16
Código em RL - T5689728


sexta-feira, 1 de julho de 2016

SOBREVIDA



SOBREVIDA

Sobrevivente
em meio ao caos.
Nesta terra
nem bebê é inocente
gente iníqua, poluente.

Demasiadamente
inútil plantar a semente
se a terra é podre
e o rio, ora doce,
amargo está,
e os pobres peixes,
mortos, como os feixes
de um dia, impuros grãos.

Vida que é sobrevida
país ambivalente,
quase um continente
coxo, deficiente
de ordem,
progresso,
princípios
pregressos
só nos resta, a cada dia
orar a Deus
lavar as mãos. 


@Cristina Lebre – 01.07.16
Código em RL – T5684674