Seguidores

quarta-feira, 7 de maio de 2014

OS POETAS



Poetas não são normais
(e se de perto, já disse um poeta, ninguém é normal, imaginem os poetas!)

Loucos natos,
lúcidos, translúcidos,
insensatos, caricatos,
audaciosos, apaixonados,
transparentes, videntes,
raramente opacos,
praticamente abstratos.

Atravessam paredes de essências humanas,
tocam feridas
pensam chagas
trazem à tona
lembranças remotas
quase vagas.

Poetas são santos justificados
de uma forma ou de outra,
perdoados,
descrevem dores de amores
de maneira que os apaixonados os evocam.

Desvendam emoções
dilaceram corações
por vezes com duras palavras
em outras, com versos tão doces....

Poetas são tribos
meio humanos, meio anjos
fantasmas camaradas,
répteis que rastejam
em margens de riachos
de mágicas palavras.

Poetas são amigos
de gente que nem conhecem
mas pra que saber nomes,
se o poeta entende as profundezas da alma 
e sabe por que todos sofrem?

Constroem estrofes estranhas
com rimas fazem artimanhas,
e assim vão consolando descrentes,
enfartados de desilusões,
amores que se foram, partidas sem volta,
que o poeta muito bem sente,
e faz poesia com mágoas
e humilha as mais úmidas masmorras 
diante de tantas palavras,
em líricas linhas envoltas.

Poetas tristes, inspirados,
outros alegres, aloprados,
escrevem versos emoldurados;
príncipes da madrugada,
viajantes em dramas,
amantes de tramas, de transas,
de estrofes sacanas.

 Poetas são bêbados
 de palavras e versos
 de caminhos controversos
 servem-se de amuleto
 compondo hai-kais ou sonetos
 aos deficientes de almas
 aos travestidos de gala
 hipócritas de dura cerviz
 quebrados, as vezes,
 diante de líricos duetos.

 São os poetas ilusões de ótica
 de carne e osso.
 Na verdade não são deste mundo
 embora habitem-no de corpo,
 fantasiados de humanos
 que sentem, escrevem,
 declamam, reclamam,
 e detonam, à plena voz
 a condição de seres viventes
 inconformados, sofridos,
 engraçados, iludidos,
 de um jeito ou de outro,
 transtornados.

 De métricas proféticas,
 de vidas falidas,
 de restos de histórias,
 de andrajos,
 de escória,
 a poesia se alimenta,
 e o espírito cansado
 sustenta.

 Na poesia o homem doente há de se curar
 e de emoção saltar
 ao ler um belo poema,
 e com ele se identificar,
 e assim sentir emergir
 de seu corpo exaurido
 um coração novo, e potente
 a bater ritmado, cadente
 a novamente
 vibrar.

  
@Cristina Lebre – 22.04.14
Código em RT – T4797106






6 comentários:

Michell Barros Maia disse...

Como já havia falado anteriormente em seu FACEBOOK, minha querida amiga Cristina Lebre, a tua poesia é BELA...BELÍSSIMA...

Com certeza, virei aqui mais vezes...Vou analisar as demais poesias com muita atenção e carinho...

Continuo desejando a você e a todos ao teu redor, toda a PAZ e toda a LUZ vindas da DIVINDADE UNIVERSAL, do DEUS, o GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO...

Abraço Fraterno,

Michell Barros Maia.

Victor Martins disse...

Coisa linda de se ler!!!Realmente tu arrebenta na poesia.Vomita todas as sensações necessárias e expansivas de um poeta.Lindo,louco e insano!!Belo poema!!!abraço
Blog:desabadevaneios.blogspot.com.br

Cristina Lebre disse...

Puxa, feliz demais com os comentários de vcs, Michel Barros Maia e Victor Martins. Obrigada, Michel, tudo o que mais quero é tocar os corações das pessoas, sucesso pra mim é isso, minha meta, meu anseio. Victor Martins, valeu mesmo, amigo, vou visitar seu blog, juntos somos mais, viva a poesia!

Marília disse...

Lindo dmais Cristina!!!!!
Marília Pacheco Ribeiro

Cristina Lebre disse...

Obrigada, Marilia Pacheco Ribeiro, Deus a abençoe, bjs de poesia!

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Cristina.
Adorei este poema, a descrição de como é um poeta, ou a essência dele.
Creio que os poetas têm uma missão, que é a de levar os versos para as almas que necessitam dele, é como se eles fossem leitores de alma, assim como os psicólogos, mas a diferença é que o poeta intui através de um sentimento que não pode explicar, é algo mágico, que tem várias facetas, e bom é quando tocamos o coração de alguém seja no triste, feliz, crítico, romântico, mas sempre belos versos de expressão singular.
Parabéns.
Adorei!
Tudo o que eu comentasse aqui, seria um acréscimo desnecessário.
Beijos na alma!
Já coloquei o seu blog na minha lista, assim, receberei as atualizações.
Fique com Deus.